terça-feira, 22 de dezembro de 2009

.sem pretensões.

Mellowdrone, é claro.

Melodrama? Talvez.

Gostaria que não houvesse tanta aflição, mas esta não se refere à escrita, e sim ao pensamento.
Quando escrevo, estou colocando um pouquinho (acredite: bem pouquinho) do que corre/pula/voa em minha mente como grilos entorpecidos.

Eu queria férias de tudo, para poder me perder, sem me preocupar com a bendita segunda-feira.
Até porque não dá pra se perder com dia e hora pra se encontrar.

Era disso que eu estava precisando, de um pouco de tempo demais, com compromisso de menos e um pouquinho de liberdade e libertinagem (rs...brincadeirinha).
Confesso que ando com o espírito meio rock and roll ultimamente, mas só o espírito! Tenho me comportado super bem, e minhas atitudes têm sido pensadas e contabilizadas, como devem ser (?).

Os relacionamentos? Eles que vão para a puta que os pariu.
Se estou revoltada/amargurada/desiludida/triste/entre lamentações?!
De jeito nenhum.
Eu estou é de saco cheio. Saco cheio.
Cansada, sabe...
Estou cansada de pensar em como as coisas são, tentando traçar um bendito paralelo relacionando como elas deveriam ser.
Deveriam ser? Para quem? Porque essa necessidade de entender as coisas?

Olha, não tem muito mistério.
Os seres humanos são diferentes.
Essa é a base a história toda: do início ao fim dos tempos.

A diferença faz com quem um tenha destaque, e outro não. A diferença define, dá poder, tira poder, hierarquiza (?) , promove status e tudo mais. E a diferença faz com que as pessoas se amem, se odeiem, se juntem e se deixem.
É diferente...é diferente.
Os interesses são diferentes. É óbvio!!!
" Esse tipo de coisa a gente não controla "
" Eu não queria que fosse assim"
" Temos que seguir nossas vidas"
Cacete...porque merda de razão então as pessoas se unem?
Sexo?
Também...o mundo é movido a sexo. Por muito tempo eu pensei que o que controlava o planeta era dinheiro. Grande equívoco. O que define tudo é o sexo. Porque o sexo é natural, dinheiro não. Dinheiro é só um elemento...mas o sexo não...ele está o tempo inteiro nas mentes das pessoas; o tempo in-tei-ro.
E não precisa ser um pervertido pra entender isso.
Qual a única razão para existirmos, enquanto seres humanos?
A perpetuação da espécie.
Ponto. Só isso.

Ninguém está aqui "para ser feliz", nem para "evoluir espiritualmente".
Sim, podemos utilizar a vida e ter qualquer coisa dessas como "motivador" para continuarmos essa caminhada dura e árdua rumo à morte. Alguma coisa tinha que parecer interessante nisso, certo?
Mas olha, o amor é só uma coisa.
Uma coisa boa até...mas que não é natural, certo?
Porque esse bendito "sentimento" foi formado por vários conceitos "anti-naturais"...poderia falar sobre isso por horas, mas nem eu mesma vou aguentar ler isso aqui depois de certo tempo...
O fato é que as pessoas estão "procurando a felicidade" no lugar errado.

Satisfação pessoal.

É disso que se trata viver.

"Faze o que tu queres será o todo da Lei" 
Vontade - Natureza - Universo

E não é preciso ler o Livro da Le de Aleister Crowleu para entender isso.

E um viva para as pílular.
Outro viva para o egoísmo.

Não dá pra pensar em ninguém.
Não dá mais para viver assim.

the killers?

legalzinho, né...mais  uma entre tantas, mas tem algumas músicas realmente boas.
dane-se.

eu preciso ir pra londres.
definitivamente. e vou, viu?
questão de um ano e meio + juntar grana + melhorar o inglês (leia-se aprender inglês de fato).
sem mais. eu vou e pronto.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

no surprises - radiohead


Nada demais, nada de menos.
Tudo exatamente do jeito que deve ser.
Estou vivendo a vida, e sinto um cheiro de gelo no ar...pode ser influência dos ar condicionados que tenho frequentado (nem metado do que eu gostaria de frequentar).
E falando em gelo, até combina com um pouco de gelo que preciso dentro de mim.
Acho que vou guardar todo o calor, ardor, chamas e tudo o que remeter à algo aquecido, para mim.
Isso mesmo, para mim.
Só para mim.
O centro do universo: eu e meu umbigo.
Umbigo este que desejo árduamente (?) que emagreça.
Sim, quero emagrecer meu umbigo!
E tudo ao seu redor.

Não estou com aquela ânsia de cérebro derretendo, e de entranhas a tremer, mas confesso que gostaria de viver um pouco mais disso aí em cima.
Ninguém precisa entender, eu sei do que se trata.
E é disso que se trata: ninguém entender.
Chega né? Já deu de viver para os outros, de tentar me fazer entender.

Foda-se?! Foda-se!
Foda-se.
Fodam-se todos e suas vidas, porque é isso que eu venho fazendo há muito tempo.
Vida e meia me jogam às traças (ui!!!) e lá me fodo até não mais suportar, e então retorno para a vida bela. Se não bela, forte. Se não forte, em pé. Se não em pé, acordada.
Não necessáriamente lúcida ou com qualquer foco de fato.
Mas com fato em foco.
Qualquer fato, qualquer foto.
Encher-me-ei de fotos.
(essas deliciosamente mentirosas...)


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

mellowdrone´s feelings




Então é isso, vamos reviver!

Reviver e reviver.
Não apenas viver novamente, mas viver novamente.

E não canso de me surpreender com o poder da música sobre mim.
Coincidentemente ou não, estar novamente ouvindo essas músicas e sentindo essas sensações, após uma "visita" do causador desses sentidos todos, passados, mas vividos de fato.
Músicas são eternas, não tem jeito.
E eu posso escolher o que ouvir, graças a deus.
Hoje escolho Mellowdrone, que já fez minha cabeça girar e girar, e hoje faz com que ela dê uma volta nos bons e velhos tempos - aqueles que não voltam mais, mas deixaram marcas boas (eu escolhi lembrar das boas) dentro de mim.

O cheiro...é inacreditável como eu sinto o cheiro daquele início de 2007, do descobrimento de Aracaju, do ar condicionado do quarto de Kitu, até então meu super melhor amigo de todos...o único que me entendia, que me aceitava, que me adorava (no sentido puro de adorar)...que saudade daquele tempo...

Claro que hoje sou outra pessoa, e ainda bem que sou...porque a evolução e as mudanças fazem parte...mas é muito bom ter vivido tudo aquilo, e hoje poder reviver em minhas lembranças, ao som das mesmas músicas...
Portinari...meu deus, que saudade...

E é isso. O tempo é relativo, a verdade é atemporal, e as sensações podem ser revividas sempre que eu quiser.

Obrigada Deus, por eu ser quem sou.
Sou muito grata pela minha vida, e muito grata a mim, por tê-la vivido como vivi.
E ninguém aqui está falando de fazer as coisas certas, mas de fazer, e fazer bem feito, e fazer de verdade.
Queria poder dividir isso tudo com alguém, mas ninguém entenderia...então o blog que me aguente...rs...

Hoje estou bem. Hoje estou leve. Hoje estou viva e estou me sentindo leve.
Uma risada frouxa vez ou outra sai pela minha boca como algodão doce...
Felicidade real ou não
Pílulas tem essa capacidade...então um viva (!) para a medicina!

.you are who you are who you are.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Tem dias que a gente se sente...

...como quem partiu ou morreu.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

And isn't it ironic ... don't you think?

E lá se foi um final de semana. O primeiro de muitos que virão.
E não se trata de algo tão óbvio.


Engraçado...parece que foi ontem que nomeava uma pasta com fotos novas como: "primeiro nascer do sol"...parece que foi ontem...
Aqui estou, de novo, criando algumas 'primeiras outras coisas' para conseguir colocar em prática tudo o que tenho aprendido durante toda a vida.

"eu tô bem po...eu tô bem."



Começar de novo - Ivan Lins



Começar de novo e contar comigo
Vai valer a pena ter amanhecido
Ter me rebelado, ter me debatido
Ter me machucado, ter sobrevivido
Ter virado a mesa, ter me conhecido
Ter virado o barco, ter me socorrido


Se Puder Sem Medo

Oswaldo Montenegro

Composição: Oswaldo Montenegro
Deixa em cima desta mesa a foto que eu gostava
Pr'eu pensar que o teu sorriso envelheceu comigo
Deixa eu ter a tua mão mais uma vez na minha
Pra que eu fotografe assim meu verdadeiro abrigo
Deixa a luz do quarto acesa a porta entreaberta
O lençol amarrotado mesmo que vazio
Deixa a toalha na mesa e a comida pronta
Só na minha voz não mexa eu mesmo silencio
Deixa o coração falar o que eu calei um dia
Deixa a casa sem barulho achando que ainda é cedo
Deixa o nosso amor morrer sem graça e sem poesia
Deixa tudo como está e se puder, sem medo
Deixa tudo que lembrar eu finjo que esqueço
Deixa e quando não voltar eu finjo que não importa
Deixa eu ver se me recordo uma frase de efeito
Pra dizer te vendo ir fechando atrás da porta
Deixa o que não for urgente que eu ainda preciso
Deixa o meu olhar doente pousado na mesa
Deixa ali teu endereço qualquer coisa aviso
Deixa o que fingiu levar mas deixou de surpresa
Deixa eu chorar como nunca fui capaz contigo
Deixa eu enfrentar a insônia como gente grande
Deixa ao menos uma vez eu fingir que consigo
Se o adeus demora a dor no coração se expande
Deixa o disco na vitrola pr'eu pensar que é festa
Deixa a gaveta trancada pr'eu não ver tua ausência
Deixa a minha insanidade é tudo que me resta
Deixa eu por à prova toda minha resistência
Deixa eu confessar meu medo do claro e do escuro
Deixa eu contar que era farsa minha voz tranqüila
Deixa pendurada a calça de brim desbotado
Que como esse nosso amor ao menor vento oscila
Deixa eu sonhar que você não tem nenhuma pressa
Deixa um último recado na casa vizinha
Deixa de sofisma e vamos ao que interessa
Deixa a dor que eu lhe causei agora é toda minha
Deixa tudo que eu não disse mas você sabia
Deixa o que você calou e eu tanto precisava
Deixa o que era inexistente e eu pensei que havia
Deixa tudo o que eu pedia mas pensei que dava




quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Smiths......

Last Night I Dreamt That Somebody Loved Me

The Smiths

Last night I dreamt
That somebody loved me
No hope, no harm
Just another false alarm

Last night I felt
Real arms around me
No hope, no harm
Just another false alarm

So, tell me how long
Before the last one?
And tell me how long
Before the right one?

The story is old - I know
But it goes on
The story is old - I know
But it goes on



Então é isso.

Lembranças no passado, e no passado.
Terem sido companheiros, amigos, leais, amantes, amados, portos-seguros, se foi no passado, fica no passado.

Aprendendo mais e mais, sempre.
"afinal de contas todo o crescimento dói"

"porque eu sei que é amor, eu não peço nada em troca"...

E amar não é garantia de ser amado.
E se entregar demais não é garantia de receber o troco. (nunca pensei que fosse, pensei?)
Tudo bem...tudo bem.
Graças a Deus sofri até quase morrer no passado. Isso faz com que eu aguente as dores de hoje sem maiores problemas.

Um pouco amortecida pela tristeza, pela dor. Mas nada que me tire o senso.
Isso é importante!
É muito importante...
Manter-me em equilibrio e com a sanidade intacta é uma boa base para passar pelas tais circunstâncias que a vida me coloca (aquelas, que o meu pai diz que definem quem somos em cada momento).
Sábio pai.
Queria tanto conversar com ele, mas sei que não posso, não devo.
Essa dor vou guardar pra mim, vou esperar que passe, com os dias - quantos forem necessários.
Tenho um pouco de realidade para me apegar, e nela manter meu foco para então passar pelos dias, sem que eles passem por cima de mim.
Dormir e acordar.

Acordar. E levantar.

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve...


- mas só esse eu não farei.


Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes...


- palavra que não direi.


Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,


- que amargamente inventei.


E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando...


- e um dia me acabarei.



             - Cecília Meireles (Timidez)

Olhos Nos Olhos

Chico Buarque

Composição: Chico Buarque
Quando você me deixou, meu bem
Me disse pra ser feliz e passar bem
Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci
Mas depois, como era de costume, obedeci

Quando você me quiser rever
Já vai me encontrar refeita, pode crer
Olhos nos olhos
Quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você eu passo bem demais

E que venho até remoçando
Me pego cantando, sem mais, nem por quê
Tantas águas rolaram
Quantos homens me amaram
Bem mais e melhor que você

Quando talvez precisar de mim
Cê sabe que a casa é sempre sua, venha sim
Olhos nos olhos
Quero ver o que você diz
Quero ver como suporta me ver tão feliz

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Acordei melhor.
Tive a sensação de que a noite tinha durado 5 minutos.Fechei os olhos, abri e já era de manhã.
Sono infinito.Normal.


É bom acordar sabendo que tenho um monte de coisas para fazer, tanto no trabalho quanto da faculdade, isso faz eu me sentir viva, útil (pelo menos parecer, rs...) e com menos tempo disponível para alimentar pensamentos negativos e afins.

Tomara que o dia seja tranquilo.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O dia inteiro entrando no hotmail compulsivamente, apertando o botão "atualizar" e por um instante uma ponta de esperança de ter alguma mensagem em negrito, mensagem nova.
Nada.
Depois?
Nada.
Pouco depois?
Nada de novo.
E assim o dia inteiro, quem sabe a semana inteira.
Solidão absurda que me assola, me fazendo mergulhar em cada agudo da Alanis, reconhecendo então alguma
lembrança de qualquer coisa. Lembranças são mais companhia do que essa atmosfera fria que me cerca. Essas paredes, essas divisórias, esse ar condicionado gelado, essas vozes de pessoas com as quais convivo, mas não vivo. Eu tenho vivido bem, não tenho? tenho ué. tenho?

Vai saber, vai entender, vai definir o que significa viver bem, no meio de tanta coisa ruim acontecendo com tanta gente. Eu devo é agradecer pela minha vida, certo? Certissimo! Obrigada deus.
Obrigada por mais um dia, por mais dois, por mais uma semana intacta, saudável, firme, forte, triste.
Estou triste.
Não estou deprimida.
Não posso me dar esse luxo. Se eu me deprimir, não tenho nem com quem me lamentar.
Dramático, né? Também acho.
Eu queria mesmo ter um monte de coisa bacana pra ecrever aqui. Até deve ter um monte de coisa boa acontecendo...eu só não sei onde.



Inacessível


Como qualquer uma estaria
Estou lisonjeada com sua fascinação por mim
Como qualquer mulher de sangue quente
Eu sempre quis um objeto para desejar

Mas você,
você não é permitido
Você é inacessível
Um infeliz deslize

Deve ser estranhamente excitante
Assistir o inabalável sofrendo
Deve ser meio difícil dizer
Assistir o pastor precisar de ensinamento

Mas você,
você não é permitido
Você é inacessível
Um infeliz deslize

Como um territorio não mapeadol
Eu devo parecer muito intrigante
Você fala do meu amor como
Se já tivesse experimentado amor como o meu antes

Mas isso não é permitido
Você é inacessível
Um infeliz deslize

Não acho que você seja indigno
Preciso de um tempo para pensar.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A gente espera do mundo, e o mundo espera de nós...

um pouco mais de:


paciência
s. f.
1. Virtude da pessoa paciente.
2. Sossego com que se espera uma coisa desejada. (adorei essa)

3. Perseverança.
4. Demora nas coisas que se deviam executar prontamente. (isso não é falta de paciência?!)

5. Sofrimento em pontos de honra. (meu deus, to alarmada!)

6. Passatempo ou jogo de uma pessoa só.
7. Bot. Labaça.
interj.
8. Designativa de paciência, conformidade.

Pois é.
Sempre me disseram pra não pedir paciência, que papai do céu manda é um monte de zica pra gente aprender a administrar. Bem feito mesmo. Eu devo ter pedido muitaaa paciência antes de descer na Terra.
Olha, cada pessoinha cretina que me aparece, e eu realmente tenho aprendido a conviver.
Mas vamos lá: o que é aprender a conviver?
(a) não se importar com o que acontece em relação a ...
(b) não demonstrar que se importa com o que acontece em relação a...
(c) se importar e fingir mal e porcamenter que não se importa com o que acontece em relação a...


Eu definitivamente fico com a alternativa menos paciente da questão.
Como é que alguém consegue de fato não se incomodar com a simple existência de pessoas escrotas (e olha que estou usando um eufemismo lindo) que parecem fazer questão e incomodar all the fucking time, e além disso, sabendo que essas pessoas sabem que estão incomodando, e sabem que eu sei que elas sabem?
Rs.....
Meio neurótica, né?
Tá bom, eu sei...

Mas eu estou falando sério po...


O que leva um ser das trevas desse a fazer as coisas mais bizarras, incômodas, inoportunas, impertinentes, desagradáveis (etc³) o tempo todo? Porra velho. Porque esse cidadão simplesmente não MORRE?!
Olha, eu vou ser bem sincera, e isso pode soar (?!) um tanto quanto muito malvado e doentio, mas eu juro pelo Colilo (santíssimo) que eu "não mijaria no fogo" pra apagá-lo se estivesse queimando nas chamas do inferno.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Meu deus, tá bom.

Eu realmente estava tentando utilizar a escrita neste pobre blog, mas não funcionou muito bem, apesar de ser bem assustador para um eventual leitor que se perca e caia aqui. Rs...



Mas é isso.
Estou um pouco aflita, mas nada que me enlouqueça.
Pensando, pensando muito como sempre...pensando que eu não sei mais se quero aquilo que antes eu queria...pensando no esforço que é necessário se queremos de fato alguma coisa, e em como é triste quando mesmo que queiramos muito algo, e nos esforcemos muito para conquistar, não depende apenas da nossa vontade/empenho/desejo/amor...


 

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

mais do mesmo...

Bon Iver! Bon Iver! Bon Iver!
Doses e mais doses daquela dor que gosto de sentir (já expliquei um pouco dessa morbidez no post anterior)

Tô bem! Eu tô bem!
Mesmo...é serio!

Cada nota dessas músicas tocar célula por célula das minhas entranhas...kkkkk
Tá bom...sem mais disso por hoje.

Ontem assiti Lua Nova.
Ai meu deus.
Nem vou começar a desabafar todos os meus sentimentos e suspiros por Edward e Jacob...que história...que história!!!! Sinto-me adolescente de novo - não que eu já tenha saído dela, pois soube que pode durar até os 25 anos, então me deixem curtir esses dois que me restam!!

Lindo, lindo, lindo. Lindos.
Lindas pessoas, lindas cenas, linda história, lindo amor.
Supreendente, alucinante, ensurdecedor aquele amor.
Eu sofri, sofri muito. Senti meu coração sendo arrancado de dentro demim, sem um pingo de anestesia no momento em que Edward diz à Bella que não a quer mais. Meu deus, que dor...
Acho que eu sou sádica, masoquista, só pode.
Suspirei, sofri, não chorei.
Nenhuma lágrimazinha.
Estranho, né...se fosse umas semanas atrás eu não tinha vindo trabalhar em função do estado emocional que me encontraria...rs..

Aiiiii....Bon Iverrrrrrrrrrrrrr
Socorrooo! kkkkkkkkkkk

É isso.
Apaixonada por um mundo que não existe.
Chateada com o ganho de peso.
Voltei à dietinha 2° feira.
Amando menos.
Não por amar menos, mas por acreditar que preciso amar menos.
Não sei se é certo, sei que é um método preventivo.
Tipo anti-concepcional de decepção amorosa.

Como eu sou ridícula.

*-*



















- foto velha.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Aquela deprê toda deu uma aliviada. Não que eu esteja 100%, mas estou melhor, de fato.
Escutando Bon Iver...o som desse cara é sensacional, não canso de ouvir...
E o estranho é que conheci numa das piores épocas da minha vida, e eu ouvia na fossa mesmo, sofrendo uma dor infinita...e hoje eu escuto, é como se voltasse para aqueles dias. Consigo sentir o cheiro daqueles dias...consigo lembrar das cores que imaginava, dos desejos que não tem nome, do tanto que falava com deus (?!) para que aquela dor passasse...tenho uma memória (musical,olfativa,visual.emocional,e mtas outras) incrível.
Lembro do cheiro do carro do meu amigo urso que me levava ao cinema e me aguentava mesmo quando eu queria que o mundo acabasse...rs...


"I told you to be patient
I told you to be fine
I told you to be balanced
I told you to be kind
In the morning i'll be with you
But it will be a different "kind"
I'll be holding all the tickets
And you'll be owning all the fines"

Então...
Então...
É isso.
É isso?
Deve ser...

Como essa vida é estranha, como é engraçada...
O que ontem era dor, hoje é saudade...
Como eu posso sentir saudade da dor? Enquanto todo mundo tenta esquecer...
Hoje está tudo bem, hoje passou. Eu sabia que ia passar, e era só o que eu pedia pra deus(?!).
"deus, faz essa dor passar..."
Passou.
E ainda tenho um mórbido e curioso acesso à ela.
A música tem esse poder sobre mim. De fato tem. Sempre teve.
Minha relação com a música sempre foi assim, de amor e ódio, de saudade e nostalgia...lembro que nos piores daqueles piores dias, eu sequer podia ouvir o início de algumas...e hoje?Delas nem me lembro...já essas que foram trilha sonora de tantos dias chuvosos e escuros (mesmo que lá fora o sol queimasse e o azul do céu ofuscasse qualquer vista)...essas escuto com saudade da dor.

Eu devo ser louca mesmo.
Tanta gente acha isso, deve ser verdade.
Inclusive tenho pensado muito sobre isso...o que é ser normal? O que define alguém são é o fato de ele não pensar/sentir loucuras, ou o fato de ele não dizer/externar o que pensa?!
Porque alguém que fala o que pensa/sente é mal julgado, se é óbvio que muitas pessoas concordam com aqulo que foi dito?!
Eu sei que todos julgam. Eu julgo o tempo todo. Julgo bem, julgo mal, sou injusta muitas vezses...
Mas porque as pessoas são hipócritas a ponto de julgarem alguém por aquilo que elas têm dentro de si?!

Não,  não estou triste por isso.
Só queria entender.
Ou melhor, nem queria.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Lá vou eu para meu post depressivo-chato-tpm...

Estou mal. Estou bem mal.E me sinto mal por me sentir assim, porque me sinto na obrigação de estar sempre bem, e de agradecer por tudo o que tenho e blablabla.
Sabe, ontem eu dei um piti no telefone com meu namorado (tadinho...) porque eu estava lá reclamando, e dizendo o quanto me sentia péssima, e ele no final da ligação disse pra eu " tentar ficar bem "...aí eu pirei né?! Como assim tentar ficar bem?! Será que eu não tenho o direito de estar péssima viver isso? Será que é difícil de entender que não dá pra ficar bem? Porra!! Se eu estou triste, aflita, angustiada, com a auto-estima no lixo, magoada, com raiva...como vou ficar bem? Como vou tentar ficar bem?! Só o fato de eu levantar e ir fazer o que tenho que fazer, de eu ir pra aula, assisti-la, de tratar as pessoas como gente já é um grande esforço pra mim.

Motivo pra tudo isso? Acho que nenhum...estou de tpm, é verdade.
Estou com um problema sério e crônico de prisão de ventre (sem mais detalhes...) e estou engordando como um búfalo em uma velocidade bizarra.
Fui comprar calça (sem grana, porque isso também é um problema uma questão na minha vida. Tá vendo??? Eu tinha escrito PROBLEMA, mas imediatamente eu me sinto culpada, sei lá...sinto como se não tivesse o direito de dizer que tenho um problema, com tanta gente passando por tanta coisa ruim, ahhHhhh!!!

Enfim...e eu percebi que (além da imagem no espelho que está se transformando a cada dia) eu não estava entrando nas calças 40.Que ódio de mim. Que ódio do universo.Claro que não sou hipócrita de dizer que estou enorme, porque sei que não estou, mas estou ficando, e me conheço, sei que minha genética é uma bosta e eu não sei como reverter esse quadro. Hunf...

E eu me sinto mal por achar que isso é um problema...e por me angustiar com isso acabo ficando ansiosa, e comendo mais, o que alimenta esse maldito círculo vicioso.

Saco.
Quem vai querer ler um monte de post reclamando, né?
Ninguém...
Ninguém gosta de gente que só reclama.
Nem eu.




Preciso ficar assim de novo - urgentemente.
A calça dessas fotos é a mesma das fotos tiradas hoje em cima daquele "trambolho"...rs...sensível dirferença, não?!

Sem comentários sobre meu cabelo
(depressão profunda)

=(

Ó que divertido meu trabalho!!!


quarta-feira, 11 de novembro de 2009

medo de mim.

Ouvindo Alanis depois de muito tempo...e é incrível a nostalgia na qual mergulho. Lembro de mim com 14 anos escrevendo, escrevendo, escrevendo sabe-se lá o que, sabe-se lá pra quem...

Estou em uma leve crise existencial, mas nada que me deprima ou me aflija. Apenas pensando um pouco sobre ser eu, em como isso é complicado às vezes, no quanto me angustio pensando nos " e se " acerca de mim.

Sem coragem pra escrever. Eu sou uma covarde mesmo.


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

final de semana - um sonho.

Simplesmente passei um dos melhores finais de semana da minha vida.
Meu amor me levou pra um hotel incrível na Bahia.
Nem tenho o que descrever...as fotos falam por si...
Depois posto as outras...são muitas (difícil selecionar...)


é muito amor...


quinta-feira, 5 de novembro de 2009

desparabéns?!

29/10/2009 - 65 quilos.
05/11/2009 - 65,5 quilos.
ha ha ha. que delícia³ !
motherfucker²³¢$¨&*()$#@!!!!!


Ouvindo Pitty(?!) - Semana que vem.

Ontem foi meu aniversário. Parabéns para mim!
Vinte e três anos nessa terra insana. Que bom.

Acordei no horário de sempre sem lembrar que era meu aniversário. Abri os olhos, sentei na cama, bocejei.
Cocei os olhos como de costume, baguncei meu cabelo (pra que diabos eu bagunço meu cabelo quando acordo eu não sei...), levantei. Pensei: "ei, hoje é meu aniversário! que estranho".Baguncei meu cabelo de novo e iniciei os rituais matinais.

O caminho pro trabalho foi estressante, minha cabeça não parou nem um segundo...de vez em quando isso acontece, eu penso tanto que minha cabeça começa a doer - de fato.
Reflexões acerca da vida, uma tentativa de balanço do meu ano que passou, e eu sempre chego às mesmas conclusões. Mas confesso que amadureci bastante, que hoje sou uma pessoa melhor e o tanto que sofri (porque quis) foi importante para todo esse processo de evolução espiritual. Rs...

Enfim. Dia normal, alguns parabéns e tal. Ligação de uma tia de SP.E sinceramente, não senti a menor falta da ligação de ninguém, nem da minha melhor amiga Isis que em todos os anos de amizade me ligou no aniversário, mesmo quando estávamos sem nos falar. Tudo bem.
Sabe, esse lance de ligar no aniversário é meio louco, porque se as pessoas não participam da minha vida, não sabem nada do que acontece comigo, pra que ligar no dia do aniversário? Fica sem ligar mesmo ué.

Mas olha que legal, ganhei mais uma festinha surpresa! hehe...
Me chamaram na sala de reunião da gerência e quando cheguei tinha um pessoalzinho com um bolo e refrigerante! Lá fui eu me atracar no bolo e no guaraná.
Fotinho (depois do bolo):


Comemorações: mercado, casa, lavar banheiro (tava osso...), arrumar o quarto, tomar banho, deitar.
Comidas de aniversário: salada de fruta com granola e iogurte de mamão, bolo de cenoura e depois de muito "vou-não-vou" eu fui e fiz um pouquinho de pipoca.

Pronto, é isso.
Feliz Aniversário, beijo, tchau!



terça-feira, 3 de novembro de 2009


"solidão é estar entre uma multidão e sentir falta de apenas uma pessoa..."

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Tão de sacanagem com a minha cara...só pode!

5h15 vêm aqui na sala me avisar que hoje é dia de Aniversariantes do Mês (festinha que a BR promove para os funcionários)...aí fui lá no refeitório "só dara uma olhadinha"...acabei dando uma olhadinha no seguinte:














Bolinho básico com chocolate, marshmellow e
recheio de leite moça com côco.














Sanduichinhos recheados com patê de atum e frango.















Bolinho de laranja com cobertura açucarada, e torta de camarão.

















Sei lá o quê de bacalhau.


Aí eu pergunto, estão ou não de sacanagem com a minha cara?
O que eu vou fazer com a salada de fruta que trouxe para comer no meio da tarde?
Djízus fucking crazy!
Aí comi um sanduichinho com patê, um pedacinho do bolinho de laranja e dois pedacinhos da tortinha de camarão. (eu falo assim tudo no diminutivo pra ver se alivia minha fucking consciência.
E bebi 3 copos (TRÊS!!!) de suco de abacaxi com hortelã. Affe³...

OBS.: NEM TOQUEI NA GOD´DAMMIT TORTA!

É isso.
E eu vou pra academia, nem que seja pra ficar 12 minutos na esteira.
Saco!!!!!

Assim não dá!

Assim não pode! rs...

14h30 da tarde, de um quinta-feira.
DO NADA o povo começa a cantar parabéns aqui na sala.

eu: " gente...aniversário de quem? "
eles: " seu uééé!"
eu: " mas o meu aniversário é só quarta que vem! "
eles: " não tem problema, é sempre bom um bolinho "
eu: " vocês querem acabar comigo! assim não tem dieta que aguente, po..."
eles: "faz dieta depois do aniversário"




eu: " canalhas!!! "



affe!!

Furiosa comigo mesma.
Me pesei de manhã, e estou com 65 quilos.
Absurdo. Absurdo. Absurdo.
Como eu permiti que isso acontecesse?
Lembro que quando estava cheguei nos 63 pensava "meu deus, eu não posso deixar passar disso, preciso controlar a situação"...e agora 65.
 Puta que pariu, que ódio.

Muito brava comigo, muito revoltada com a minha falta de força de vontade.

Ontem voltei com o Shake...porque ele realmente dá sensação de saciedade.
Então quando chegar do trabalho, antes de ir pra aula vou toma-lo e não comerei mais nada.
O certo é a partir das 18h00 não comer nada sólido (dããã!), então eu que arranque os cabelos, mas depois do shake não vou comer! E pronto.
Nem que eu tenha que me dopar! rs...
Hunf!

Estou super hiper ultra mal-humorada.
Acho que tem uma gripezinha querendo me pegar. Estou tossindo que nem um cachorro...
Minha barriga está absurdamente inxada, e eu não vejo explicação lógica pra isso.

Ontem fiz salada de fruta (maçã, mamão, banana e melão) e trouxe aqui pro trabalho...no meio da manhã era pra eu ter comido, mas uma colega trouxe uvas...e no meio da tarde é o que eu vou comer. E às 18h00 o bendito shake e chega!
No máximo vou comer mais salada quando voltar da faculdade.

Ave maria, estou INSUPORTÁVEL.

tchau!

= [


quarta-feira, 28 de outubro de 2009


Da minha precoce nostalgia
Por Maria Sanz Martins
 
Quando eu for bem velhinha, espero receber a graça de, num dia de domingo, me sentar na poltrona da biblioteca e, bebendo um cálice de Porto, dizer a minha neta:
- Querida, venha cá. Feche a porta com cuidado e sente-se aqui ao meu lado. Tenho umas coisas pra te contar.
E assim, dizer apontando o indicador para o alto:
- O nome disso não é conselho, isso se chama corroboração!
Eu vivi, ensinei, aprendi, caí, levantei e cheguei a algumas conclusões. E agora, do alto dos meus 82 anos, com os ossos frágeis a pele mole e os cabelos brancos, minha alma é o que me resta saudável e forte.
Por isso, vou colocar mais ou menos assim:
É preciso coragem para ser feliz. Seja valente.
Siga sempre seu coração. Para onde ele for, seu sangue, suas veias e seus olhos também irão. E satisfaça seus desejos. Esse é seu direito e obrigação.
Entenda que o tempo é um paciente professor que irá te fazer crescer, mas escolha entre ser uma grande menina ou uma menina grande, vai depender só de você.
Tenha poucos e bons amigos. Tenha filhos. Tenha um jardim.
Aproveite sua casa, mas vá a Fernando de Noronha, Rio de Janeiro, a Barcelona e a Austrália. Cuide bem dos seus dentes. Experimente, mude, corte os cabelos. Ame. Ame pra valer, mesmo que ele seja o carteiro.
Não corra o risco de envelhecer dizendo "ah, se eu tivesse feito..."
Tenha uma vida rica de vida. Vai que o carteiro ganha na loteria - tudo é possível, e o futuro é imprevisível.
Viva romances de cinema, contos de fada e casos de novela.
Faça sexo, mas não sinta vergonha de preferir fazer amor.
E tome conta sempre da sua reputação, ela é um bem inestimável. Porque sim, as pessoas comentam, reparam, e se você der chance elas inventam também detalhes desnecessários.
Se for se casar, faça por amor. Não faça por segurança, carinho ou status. A sabedoria convencional recomenda que você se case com alguém parecido com você, mas isso pode ser um saco! Prefira a recomendação da natureza, que com a justificativa de aperfeiçoar os genes na reprodução, sugere que você procure alguém diferente de você. Mas para ter sucesso nessa questão, acredite no olfato e desconfie da visão. É o seu nariz quem diz a verdade quando o assunto é paixão.
Faça do fogão, do pente, da caneta, do papel e do armário, seus instrumentos de criação. Leia. Pinte, desenhe, escreva. E por favor, dance, dance, dance até o fim, se não por você, o faça por mim.
Compreenda seus pais. Eles te amam para além da sua imaginação, sempre fizeram o melhor que puderam, e sempre farão. Cultive os amigos. Eles são a natureza ao nosso favor e uma das formas mais raras de amor.
Não cultive as mágoas - porque se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida é que um único pontinho preto num oceano branco deixa tudo cinza.
Era só isso minha querida. Agora é a sua vez. Por favor, encha mais uma vez minha taça e me conte: como vai você?


terça-feira, 27 de outubro de 2009


Ai que gracinha meu almocinho de hoje!
Normalmente eu tiro foto das comidinhas e fica horrível, porque eu tiro do celular que é um lixo! rs...
Como essa ficou bonitinha eu  resolvi postar!
Se bem que esse salmão tá com uma cara bem feinha...rs...mas estava gostoso!
Esse pratinho não é merchan não...eu almoço todos os dias no pratinho de sobremesa...o duro é que dependendo da sobremesa do dia eu enfio o pé na jaca, ou no bolinho de cenoura com calda, ou na cocada, ou no pudim, ou no que tiver de gostoso! rs...

Continuando a série " eu sou uma piada (de mal gosto) ", venho por meio deste post registrar que ontem consumi as inacreditáveis 980 notas, e que hoje, mesmo com esse almocinho delícia já estou com 450 notas, e são 15h30. Affe.

Desse jeito vou alcança minha meta em fevereiro de 2014!

para ninguém ...

Final de semana diferente...estranho,valioso,triste,doloroso,aprendizados...

Prova sábado (fui bem mal).
Fui pra Salvador.

Resumo rápido:

O Alê tinha um casal de amigos. 
Esse casal ficou junto muitos anos. Separaram-se. A moça ficou doente, câncer, morreu.
Seu último desejo era que as cinzas fossem jogadas no mar de Salvador.
Pai, mãe, irmão, cunhada, ex-namorado saíram de SP rumo a Salvador para realizar o último desejo da moça.
Triste né? Também achei.

Cheguei em Salvador sábado a noite e fomos jantar num restaurante japonês (caríssimo por sinal).Jantar bacana...nem parecia que o motivo de estarem todos lá era a morte de alguém.Enfim...

Fomos pra casa. Comecei a sentir dor de estômago.Muita dor de estômago.Febre.Um frio do cão.Dor, dor e mais dor.Meu namorado lindo e querido cuidou de mim como se eu fosse uma criança (até porque eu estava agindo como se fosse uma...) 

Fomos dormir quando já estava amanhecendo. 7h00 acordamos como combinado para levar o pessoal para a Praia do Forte. Passamos a manhã lá.Voltamos, almoçamos.


Encontramos todo mundo para irmos à praia realizar o ato simbólico das cinzas.
Eu não sabia o que fazer, não sabia o que falar. Não conhecia a moça, e estava junto de sua família em um momento ultra doloroso. Estranho.


O sofrimento da mãe estava estampado, escancarado, dilacerando os meus por dentro. Só por dentro.Eu não tinha o direito de sofrer. Não diante daquela mãe.


Aquela senhora era o retrato da dor, do cansaço, do desegano.Não teve coragem de ir até o mar. Suas palavras: "Eu não tenho que passar por isso, eu não suportaria passar por isso. Não existe estrutura para mais nada." 
Tudo isso seguido daqueles intermináveis "porquês" e perguntas sem resposta.


"Ela era tão linda, tão linda"...


Enquanto isso pai, irmão, ex namorado e cunhada seguravam um saquinho transparente cheio de poeirinhas (granulado, fui saber depois) e tentavam fazer com que o vento não jogasse tudo para cima, e sim para o mar (ela falou que queria o mar, ora...)


Uma praia linda, o mar lindo, o céu lindo, a areia linda. Que dor, que triste, que estranho.
O Alê ficou comigo e a mãe dela...os 3 na areia olhando aquela cena que não deveria ser vista nunca por nenhum pai, e nenhuma mãe. " Essa não é a lei natural das coisas, isso está errado".

Errado...errado.

O que é certo?
O que é justo?

Os planos não me incluíam inicialmente. Era pra ex do Alê estar ali...ela que era amiga do casal, não eu. Mas a vida tem umas coisas estranhas mesmo...a gente não entende na hora, mas depois compreende os porquês - ao menos alguns.


Sei lá.


Fiquei meio emo agora que escrevi sobre isso.