segunda-feira, 26 de abril de 2010

para sempre para nunca.

Aqui estou, mais uma vez perdida em meio há tantas horas que insistem em não passar.
Não consigo olhar pra frente, nem pra trás.
Estou parada no tempo.
Tempo que já pedi para voar, e quando chegava a hora, implorava para parar.

Aqui estou, mais uma vez sentindo esse cheiro de saudade, essa moleza de pressão que baixa.
Mais uma vez lutando para não me entregar para a tristeza.
Seria isso tristeza?!

Desisto. Chega, cansei...
Bandeira branca.
Não consigo mais lutar.
Nem o dragão de São Jorge, pra me ajudar nessa batalha que parece eterna.
Batalha que perdi há muito tempo...batalha que eu mesma criei.
Batalha injusta né?
Davi e Golias, mas na história real, quem ganha é quem é amada, de verdade.
E não a fadinha nova e engraçada.
Não aquela que faz rir, mas aquela que faz história.
E nessa história sou apenas personagem de um capítulo, quem sabe dois...

Onde estava com a cabeça?
Nas nuvens...sem dúvida.
E quantas vezes...quantas vezes esse meu vôo terminou em tragédia...
Quantas vezes me recuperei.
Quantas vezes fiquei internada recebendo gota a gota soro de vida, para superar.
Quantas vezes superei e sorri de novo.
Quantas vezes acreditei que não tinha terminado...
Sem saber que pode tudo ter sido um sonho...

E que sonho lindo foi esse que me envolveu..
Ou que eu me envolvi?
Teria eu criado em minha mente tão fértil, essa história de amor eterno?

Te peguei emprestado, e não quis devolver..
Mas minha mãe já dizia...o que não é nosso, deve ser devolvido.
"se ama algo e quer saber se te pertence...deixe ir...se não voltar, é porque nunca foi"

Nunca foi...nunca seria...nunca será.

"Quem de nós dois vai dizer que é impossível o amor acontecer?
Se eu disser que já não sinto nada, que a estrada sem você é mais segura..."

Nunca quis segurança.
Só o que eu queria era segurança..

"no vão das coisas que a gente disse, não cabe mais sermos somente amigos
e quando eu digo que eu já nem quero, a frase fica pelo avesso, meio na contra mão..."

E assim continuo, nunca pra frente.
Sempre indo, e voltando.
Cada passo a diante, dois pra trás.

E em meio à tanta confusão, tento tirar o lado bom das coisas, e a elas me apegar.
Mas de que adianta?
Pra que tudo isso?
Sempre volto para o mesmo ponto.
Esse, onde dói...onde arde, onde olho pra cima, pra baixo e pros lados, e sinto esse cheiro de saudade.
Quantas voltas esse mundo deu...quantas certezas quebradas por convicções que nunca tive.
Quanta confusão.

Eu sei que dói.
Eu sei que esse nó na garganta quase me derruba aqui mesmo, agora.

E tudo acontecendo ao meu redor...e as pessoas, os lugares...todos personagens de um pesadelo que não termina.

Quanto eu pensei...que era a pessoa mais feliz do mundo.

E George Harison cantarolando "here comes the sun"...
it´s all right.....

Vamos lá.
Mais uma vez, em frente.
Mais uma vez rumo ao ''sabe-se lá onde''.
Mas é preciso continuar, certo?
E vai ficar tudo bem, certo?
E no final tudo dá certo, certo?

Então tá.

Mais uma vez, só quero que passe.
Mais uma vez só queria que nunca tivesse acontecido.
Mais uma vez acho isso um crime, inafiançável.
Mais uma vez sem sentido, mais uma vez injusto.
Injusto.
Mais uma vez, cada um tem exatamente aquilo que merece.

E comigo não haveria de ser diferente.

Eu que aguente.

2 comentários:

  1. Tipo... eu comentei assim:

    Eu não li =/
    [sinceridade já me fez perder amigos!]

    ResponderExcluir